Ato ecumênico marca série de homenagens às vítimas de massacre em Suzano

  • Por Jovem Pan
  • 21/03/2019 09h33 - Atualizado em 21/03/2019 10h17
Werther Santana/Estadão ConteúdoO ato foi encerrado com um outro abraço, desta vez simbólico, ao redor da escola dado por todos que compareceram

Pais e alunos se unem em orações uma semana depois da tragédia na Escola Professor Raul Brasil em Suzano. Esta quarta-feira (20) foi marcada por um ato ecumênico liderado por representantes de religiões cristãs, afro-brasileiras e do espiritismo.

Além das palavras, a ocasião contou com uma salva de palmas em memória dos mortos e vários abraços entre os presentes.

A sacerdotisa de umbanda Luciana Zanetta participou da cerimônia; ela é mãe de uma adolescente que estava na escola no momento da tragédia e pede paz.

Segundo a Prefeitura de Suzano, o ato reuniu 500 pessoas entre profissionais, religiosos, pais e alunos. Um deles é Matheus Augusto Barbosa dos Santos, de 15 anos; ele faz um apelo para que amigos e familiares ouçam uns aos outros.

O Estado continua discutindo com diretorias de ensino e órgãos de segurança medidas que possam evitar tragédias como a que atingiu a Escola Raul Brasil. O secretário da educação de São Paulo, Rossieli Soares, considera fundamental capacitar profissionais para que eles percebam sinais de problemas com os alunos.

O ato foi encerrado com um outro abraço, desta vez simbólico, ao redor da escola dado por todos que compareceram.

Ainda não há data para o retorno das aulas na Raul Brasil; a instituição continua realizando atividades de acolhimento até o fim da semana.

*Informações do repórter Tiago Muniz