Aumento do uso de patinetes elétricos na Europa preocupa governos

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 16/07/2019 09h27
Agência EstadoComuns no Brasil, os patinetes elétricos já causaram dois acidentes em Londres; uma youtuberde 35 anos morreu após colidir com um caminhão

O governo britânico alertou os usuários de patinetes elétricos para não andarem com os aparelhos em vias públicas sob nenhuma hipótese. Dois acidentes graves nos últimos dias aqui em Londres chamaram atenção para o problema que começa a se alastrar pela Inglaterra.

Na sexta-feira (12) uma youtuber de 35 anos de idade morreu depois de bater em um caminhão em uma rotatória no sul da cidade. No sábado (13), um garoto de 14 anos foi hospitalizado com ferimentos graves na cabeça depois de bater em ponto de ônibus também na capital britânica.

Os patinetes elétricos ainda não são tão comuns aqui na Inglaterra como nas grandes cidades brasileiras. O motivo principal é que aqui as leis são bem mais rigorosas. Os patinetes elétricos são proibidos de circular no asfalto, nas calçadas e também nas ciclovias. Na prática, os usuários são podem circular em propriedades privadas.

Ainda assim os abusos têm acontecido, tanto que a polícia de Londres já anunciou que na semana que vem irá implantar blitz em toda a cidade visando quem não cumpre a lei.

A multa para os que forem pegos andando de patinete elétrico em vias públicas por aqui é de 300 libras, cerca de 1.500 reais. E ainda são aplicados seis pontos na carteira de motorista, o que é muito considerando que neste país o máximo permitido antes de perder a licença são 12 pontos num período de três anos.

Outras cidades europeias também têm se desdobrado para tentar controlar o avanço dos patinetes elétricos que se proliferam nas vias públicas quase tão rapidamente quanto outras pragas urbanas.

Paris, por exemplo, determinou limite de velocidade de 20 quilômetros por hora para os aparelhos. Na capital francesa já são cerca de 20 mil patinetes elétricos trazidos por empresas de locação.