Aumento no preço do asfalto pode paralisar obras de rodovias, alerta indústria

  • Por Jovem Pan
  • 28/12/2017 08h00
Reprodução/EcoviasA Petrobras informou ao setor que irá aplicar um reajuste mensal de 8%, de janeiro a abril; e em maio irá subir em 12% o produto

Indústria da Construção ressalta que aumento no preço do asfalto vai paralisar obras e manutenção de rodovias em 2018.

A Petrobras informou ao setor que irá aplicar um reajuste mensal de 8%, de janeiro a abril; e em maio irá subir em 12% o produto.

O presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção lembrou que a estatal detém o monopólio do asfalto e não há como honrar os contratos. José Carlos Martins, destacou que a margem de lucro de 7% não acompanha o aumento da Petrobras: “não é pressão. Uma obra dessas tem rentabilidade muito baixa, quando você tem aumento dessa magnitude, o preço não absorve”.

Martins avaliou ainda que o aumento no asfalto faz parte da nova política de preços da Petrobras atrelada ao exterior.

Adriano Pires Rodrigues explicou que o petróleo registrou forte alta em 2 mil e 17 e a estatal se recupera da crise: “os consumidores de todos os derivados do petróleo têm que entender que a Petrobras terá reajuste de preços. E se preço do petróleo sobe, o dos produtos também”.

A CBIC, Câmara Brasileira da Indústria da Construção, afirma que o asfalto representa 40% dos custos em obras de manutenção de estradas.

O setor entende que nenhum gestor público ou privado contrata empresas com preços flutuantes mensais e os contratos anteriores não preveem aumentos.

*Informações do repórter Marcelo Mattos