Violência contra a mulher aumenta 35% em abril de 2020

  • Por Jovem Pan
  • 30/05/2020 10h06
ReproduçãoLigue 180 é a principal plataforma disponibilizada pelo governo para coletar este tipo de denúncias

As queixas de casos de violência contra a mulher cresceram durante a pandemia da Covid-19, segundo um balanço do Disque 180 divulgado pelo Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos nesta sexta-feira (29). Esta é a principal plataforma disponibilizada pelo governo para coletar este tipo de denúncias.

Em abril deste ano, foram quase 10 mil ligações, um aumento de mais de 35% em relação ao mesmo mês do ano passado. Em 2019, foram realizados 1,3 milhão de atendimentos telefônicos. Quase 48% deles eram referentes a pedidos de informações sobre a rede de proteção e direitos das mulheres, e 6,5% denúncias de violência doméstica e familiar.

A maioria das vítimas são mulheres entre 18 e 30 anos, com ensino fundamental completo. Já a maior parte dos agressores é homem, entre 25 e 40 anos de idade, com ensino fundamental incompleto.

Para a ministra Damares Alves, a saída é trabalhar a conscientização das crianças e dos jovens nas escolas. “Vamos ter um grande trabalho de conscientização e educação das crianças e jovens, apostando muito na próxima geração, nas crianças e nos adolescentes, na base. Mais do que nunca precisamos trabalhar com o Ministério da Educação”, afirmou.

O principal objetivo da divulgação desses dados é gerar subsídios para que o governo e a sociedade civil tracem estratégias para o combate à violência contra a mulher em todo o País.

O Ligue 180 registra denúncias, encaminha os relatos aos órgãos competentes e monitora o andamento dos processos. A plataforma também tem a função de orientar mulheres em situação de violência, direcionando-as para os serviços especializados da rede de atendimento.

* Com informações do repórter Antonio Maldonado