Avanço do coronavírus no Norte preocupa e deixa sistema de saúde perto do colapso no Amazonas

  • Por Jovem Pan
  • 07/04/2020 06h21 - Atualizado em 07/04/2020 08h37
EFE/José JácomeNo Amapá, 13 respiradores usados no tratamento de pacientes graves foram levados para o conserto em Minas Gerais num avião da FAB

De barco, médicos e enfermeiros percorrem o Rio Negro para levar doses da vacina contra a gripe até as comunidades mais distantes. As equipes aproveitam para alertar sobre os riscos do coronavírus e explicar como se prevenir. O maior receio é com os idosos.

A Luciene trabalha na rede pública de saúde de Manaus e sempre faz um alerta aos ribeirinhos sobre a vacina não valer para a covid-19, mas mesmo assim ser importante. A distribuição das doses ocorre às margens do Rio mesmo.

Para muitos ali, pode ser a única chance de ver um médico em meses. As autoridades esperam que a vacinação ajude os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para covid-19, já que os sintomas são parecidos.

O avanço da doença no Norte do país está deixando as autoridades em alerta. São quase 800 casos e 26 mortes na região. No Amapá, 13 respiradores usados no tratamento de pacientes graves foram levados para o conserto em Minas Gerais num avião da FAB.

A situação é mais preocupante no Amazonas, onde 532 pessoas foram infectadas pelo novo coronavírus e 19 morreram. O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, disse nesta segunda-feira (6) que os hospitais da cidade já não tem mais como receber pacientes com coronavírus e pediu ajuda do governo do Estado.

Segundo o secretário da Saúde do Amazonas, Rodrigo Tobias, 95% dos leitos de UTI do Estado estão ocupados por pacientes infectados ou com suspeita de covid 19. Manaus tem 38 pessoas internadas em unidades de terapia intensiva por coronavírus, sendo 16 na rede pública.

Ao todo, a cidade tem 4 73 casos confirmados da doença.

*Com informações da repórter Camila Yunes