Bancos deverão informar clientes sobre mudança no cheque especial, diz Procon

  • Por Jovem Pan
  • 12/12/2019 07h23 - Atualizado em 12/12/2019 07h24
Agência BrasilAinda muito elevadas as taxas médias do cheque especial e do empréstimo pessoal terminarão 2019 menores que no início do ano

O Procon de São Paulo fez um balanço sobre os juros que afligem os consumidores. Ainda muito elevadas as taxas médias do cheque especial e do empréstimo pessoal terminarão 2019 menores que no início do ano.

O empréstimo pessoal ficou em 6,24% ao mês, indicando decréscimo de 0,03 ponto percentual em relação à taxa média de 2018 – que era de 6,27% ao mês.

O levantamento realizado pelo Núcleo de Inteligência e Pesquisas da Escola de Proteção e Defesa do Consumidor apontou que, apesar da taxa média do cheque especial ter acumulado maior variação negativa ao longo dos 12 meses, ainda é muita alta se configurando como uma das maiores do mercado.

Só para se ter uma ideia, o índice ficou em 13,17% ao mês, indicando decréscimo de 0,09 ponto percentual em relação à taxa média do ano passado – que acabou em 13,26% ao mês.

O chefe de gabinete do Procon de São Paulo, Guilherme Farid destaca que os bancos tem obrigação de comunicar os consumidores sobre tarifas.

“Aquele consumidor que mantiver cheque especial até R$ 500 estará isento da tarifa. Acima disso, pagará 0,25% sobre o crédito concedido. Os bancos devem comunicar todos os consumidores da cobrança dessa tarifa.”

Guilherme enfatizou que o consumidor que não for comunicado, e se sentir lesado, deve procurar os órgãos de defesa do consumidor a fim de fazer uma reclamação contra a instituição financeira que não seguir a legislação.

*Com informações do repórter Daniel Lian