BC defende compartilhamento de caixa eletrônicos entre bancos e fintechs

  • Por Jovem Pan
  • 17/12/2019 07h35 - Atualizado em 17/12/2019 09h41
Divulgação Uma consulta pública ficará aberta até fevereiro de 2020 para discutir a questão

O Banco Central (BC) pretende impor um limite de preço nos saques em caixas eletrônicos e autorizar o uso das máquinas por fintechs e bancos digitais. Uma consulta pública foi aberta nessa semana sob o argumento de garantir maior competitividade e redução das tarifas.

Atualmente, os serviços são oferecidos após acordos comerciais entre bancos e as operadoras de caixas eletrônicos. O BC quer passar a autorizar os modelos, e abrir a possibilidade do uso das máquinas não apenas aos clientes dos bancos, mas também dos bancos concorrentes e instituições que não possuem agências físicas instaladas.

O diretor de Organização do Sistema Financeiro e Resolução do BC, João Manoel Pinho de Mello, lembra que 60% dos correntistas brasileiros fazem o uso dos caixas eletrônicos.”Traz ao Banco Central a prerrogativa regulatória, na aprovação dos regulamentos, dos arranjos de pagamento para que, sim, nós atinjamos os objetivos que o Banco Central tem com essa norma de garantir promoção da concorrência, acesso não diferenciado, inclusão financeira e conveniência pro usuário.”

Ao final da consulta pública, que termina em fevereiro, o Banco Central deverá proibir valores diferentes para saques nas diferentes instituições financeiras. Mas o setor lembra que fez investimentos em expansões de pontos com caixas eletrônicos e agências, empresas foram criadas, e que pretende garantir que esse valor entre na discussão para o uso liberado as fintechs e bancos digitais.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos