Benefícios previstos na reforma da Previdência de militares geram resistências no Congresso

  • Por Jovem Pan
  • 21/03/2019 07h02
Ana Volpe/SenadoApós a entrega do projeto, o ministro da Economia, Paulo Guedes, justificou o item. Ele citou que servidores militares não têm os mesmos benefícios dos civis

A reforma da Previdência dos militares chegou ao Congresso provocando certa resistência entre deputados de oposição e também governistas. Apesar de reconhecerem a necessidade das mudanças nas regras de aposentadoria, muitos questionaram a reestruturação das carreiras da categoria. O projeto prevê aumentos salariais, além de outras gratificações.

O líder do PSL na Câmara, deputado Delegado Waldir, acredita que o momento não é adequado para esse tipo de benefício.

Já o líder da oposição, deputado Alessandro Molon (PSB), pediu tratamento igual a militares e civis.

O líder do DEM, deputado Elmar Nascimento, seguiu o mesmo tom e disse que é possível até endurecer o projeto.

Após a entrega do projeto, o ministro da Economia, Paulo Guedes, justificou o item. Ele citou que servidores militares não têm os mesmos benefícios dos civis.

Por ser um projeto de lei, a matéria precisa de maioria simples, de 257 votos no plenário, para ser aprovada. Mas antes, deverá passar por uma comissão especial a ser criada nos próximos dias.

*Informações do repórter Levy Guimarães