Bento XVI pede que nome seja retirado de livro polêmico

  • Por Jovem Pan
  • 15/01/2020 08h41
EFEA divulgação antecipada do material foi vista como uma forma de pressionar o Papa Francisco

Papa emérito Bento XIV pede que o nome dele seja retirado de livro sobre celibato. A publicação é de autoria do cardeal Robert Sarah, prefeito da Congregação para o Culto Divino.

A obra intitulada Das Profundezas de Nossos Corações teve trechos revelados pelo jornal francês Le Figaro. Em um deles, Bento XIV diz que o celibato é uma tradição milenar da igreja católica e permite que o padre se concentre na vocação de sacerdócio.

Porém, o secretário especial do papa emérito, o arcebispo Georg Gänswein, solicitou que o nome de Bento seja retirado da capa, da introdução e da conclusão do livro.

A divulgação antecipada do material foi vista como uma forma de pressionar o Papa Francisco. Isso porque o pontífice avalia uma recomendação sobre o celibato feita durante o sínodo da Amazônia, evento que reuniu líderes católicos em outubro do ano passado.

O documento apresentado no encontro propõe que homens casados que morem em áreas isoladas possam ser ordenados como padres.

A mudança envolveria a ordenação após uma formação adequada para diáconos mais velhos da igreja, com união familiar estável e comprovadamente líderes de comunidades.

Na introdução do livro de Roberth Sarah, é dito que ele e Bento XIV não poderiam ficar em silêncio sobre o sínodo — que, segundo eles, acirrou a polarização na comunidade mundial de pessoas que seguem a religião.

Pelo Twitter, Sarah respondeu que devido a polêmica em torno da obra, ele aparecerá como único autor das futuras publicações. O conteúdo, entretanto, continuará inalterado.

O cardeal também afirmou que Bento XIV sabia que o projeto tomaria a forma de um livro.

*Com informações do repórter Vinicius Moura