Bolsonaro admite fuzilamento como recurso contra adversários, afirma ex-ministro José Gregori

  • Por Jovem Pan
  • 01/08/2018 07h41
Reprodução "Na tribuna da Câmara eu tenho imunidade para falar o que bem entender, gostem ou não”, defendeu-se Bolsonaro

O advogado e ativista de direitos humanos José Gregori, de 87 anos, criticou nesta terça-feira (31) o candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro, do PSL.

Ao participar do programa Roda Viva, da TV Cultura, o jurista, que foi ministro no Governo Fernando Henrique Cardoso, questionou Jair Bolsonaro sobre uma declaração polêmica que ele fez na Câmara dos Deputados. “O deputado teria dito na tribuna, que um dos erros da ‘Revolução’, movimento militar de 64, teria sido não mandar fuzilar FHC e José Gregori. É verdade?”.

Bolsonaro respondeu ao questionamento de Gregori: “quanto ao FHC eu falei, mas quanto ao teu nome, você não merecia essa atenção toda não. Até porque um guerrilheiro do seu biotipo acho que não procede, é guerrilheiro de garganta. Agora na tribuna da Câmara eu tenho imunidade para falar o que bem entender, gostem ou não”.

Nesta terça-feira José Gregori afirmou que a declaração de Bolsonaro mostra que o candidato é a favor do fuzilamento como recurso contra adversário político: “uma pessoa que é seletiva na questão do fuzilamento, que admite isso como recurso, não é a pessoa mais indicada”.

José Gregori ainda afirmou que o Brasil necessita de um governante que tenha serenidade e equilíbrio.

Confira a cobertura completa das Eleições 2018

*Informações do repórter Afonso Marangoni