Bolsonaro anuncia nesta quinta (11) balanço dos 100 dias de Governo

  • Por Jovem Pan
  • 11/04/2019 06h43
Marcos Corrêa/PRBolsonaro já avisou que o resultado será positivo e sinalizou que mais de 95% das ações propostas teriam sido concluídas

O presidente Jair Bolsonaro anuncia nesta quinta-feira (11) o balanço dos 100 dias de Governo. Ele já avisou que o resultado será positivo e sinalizou que mais de 95% das ações propostas teriam sido concluídas.

Depois de três meses à frente do Palácio do Planalto, o presidente tem se mostrado mais receptivo a negociar com o Congresso.

Segundo o líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra, o presidente percebeu que para ter a agenda aprovada, precisa ter o apoio dos partidos. Por isso, essa mudança de postura é tão importante: “posso compartilhar que o presidente está muito animado e está disposto a ter iniciativa política no sentido de criar ambiente político necessário para se construir essa maioria qualificada”.

Nas duas últimas semanas, Bolsonaro recebeu nada menos que 13 partidos. Nesta quarta-feira (10), foi a vez do PSL, Podemos, Novo, Avante e PSC serem recebidos no Planalto.

O presidente do Novo, João Amoêdo, deixou muito clara a intenção da bancada de votar em bloco a favor da reforma da Previdência e aprovar o texto como ele saiu do Planalto.

Amoêdo deixou bem claro, no entanto, que para isso, será preciso que o presidente, pessoalmente se empenhe para garantir a aprovação da proposta: “ele está ciente disso, está firme na defesa da Previdência”.

A presidente do Podemos, Renata Abreu, se mostrou simpática à reforma, desde que sejam feitas mudanças.

Além de não concordar com as novas regras propostas para o BPC e para a aposentadoria rural, o Podemos quer também rever as regras para os professores: “foi pleito que presidente ouviu com muito carinho, porque é coisa que a população clama”.

O presidente do PSL, Luciano Bivar, minimizou as críticas à articulação política e atuação dos aliados no Congresso e garantiu que não existem problemas: “está muito bem. No Congresso está com Joice Hasselmann, nosso líder da Câmara, Major Vitor Hugo, também está bem. As coisas estão andando tranquilamente”.

Já o líder Fernando Bezerra, não é tão otimista, mas ressaltou que nem sempre a saída é buscar o caminho mais fácil: “a vida é dura, difícil, trabalho”.

O compromisso assumido pelo presidente Bolsonaro é de que os encontros com os partidos vão se tornar uma rotina dentro do Palácio do Planalto.

*Informações da repórter Luciana Verdolin