Bolsonaro critica encontro de Abraham Weintraub com apoiadores

  • Por Jovem Pan
  • 16/06/2020 07h10
Marcos Corrêa/PRA reclamação do presidente é que os problemas sempre acabam "estourando" no colo dele. Por isso, a permanência de Abraham Weintraub no governo voltou a ser um problema

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na segunda-feira (15), durante entrevista para um canal de televisão, que o governo busca, nesse momento, uma solução para a crise gerada pela presença do ministro da educação, Abraham Weintraub, na Esplanada dos Ministérios, em ato no domingo (14).

Bolsonaro reclamou do encontro do ministro com apoiadores, que tiveram acampamento desocupado pela Polícia Militar, ressaltou que Weintraub não estava representando o governo federal e que ele não deu um bom recado ao participar das manifestações em favor do governo e contra o Supremo Tribunal Federal (STF).

A reclamação do presidente é que os problemas sempre acabam “estourando” no colo dele. Por isso, a permanência de Abraham Weintraub no governo voltou a ser um problema, já que pode levar o Palácio do Planalto para o centro da crise com o STF, que foi atacado pelos apoiadores com fogos de artifício.

O governo lembra, no entanto, que o ministro da educação não participou desse protesto, mas o fato do presidente Jair Bolsonaro não ter condenado as ações gera um desconforto entre os Poderes.

O governador Ibaneis Rocha também endureceu o discurso e mandou multar o ministro da educação em R$ 2 mil por não utilização de máscara em local público. No entendimento do governo local, a resistência de autoridades quanto ao uso de máscaras acaba passando a impressão que a regra não precisa ser cumprida.

O governador vinha fazendo vista grossa tanto para a utilização das máscaras quanto para as aglomerações causadas pelas manifestações na Esplanada. Não está definido se o local será liberado novamente ou fechado no próximo domingo (21).

*Com informações da repórter Luciana Verdolin