Bolsonaro volta a criticar países do Fundo Amazônia: ‘Não vamos ceder a pressões externas de ninguém’

  • Por Jovem Pan
  • 10/07/2019 06h35 - Atualizado em 10/07/2019 10h32
Marcos Corrêa/PRGoverno brasileiro quer maior soberania para administrar os recursos do fundo, que está em risco de extinção

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou, nesta terça-feira (9) que o governo não vai ceder a pressões externas para se comprometer com metas ambientais que garantam a continuidade do Fundo Amazônia. De acordo com ele, os países-membros do Fundo, que tem a participação de países como Alemanha e Noruega e visa estimular ações de combate ao desmatamento, não tem “nada de exemplo” para o Brasil.

“O Brasil agora tem um presidente, um governo diferente de muitos que nos antecederam, e não vamos ceder as pressões externas, em especial de ninguém, quem dirá daqueles que não tem nada de exemplo para dar para nós”, afirmou, ressaltando que a soberania nacional está acima de tudo.

Bolsonaro foi até o Ministério do Meio Ambiente  onde se reuniu com o ministro, Ricardo Salles, e com deputados da bancada da Amazônia. O impasse entre Brasil e países europeus se iniciou quando o governo decidiu fazer alterações na gestão de recursos do fundo, abrindo a possibilidade de parte do dinheiro ser usado, por exemplo, para indenizar proprietários rurais em unidades de conservação.

Sobre a permanência do Fundo, Salles afirmou o governo busca “a melhor solução”. “Nós estamos trabalhando para ter a melhor solução possível para os brasileiros, para o Brasil, para o cuidado com o meio ambiente e para o desenvolvimento, enfim, para o cumprimento de todas as pautas do nosso presidente da República”, declarou.

Tanto o ministro quanto representantes dos países europeus já admitiram, no entanto, a possibilidade de extinção do fundo.

*Com informações da repórter Victoria Abel