Boris Johnson tenta negociar, mas é provável que Brexit saia sem acordo

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 30/08/2019 08h20
EFE/EPA/IAN LANGSDONA oposição também se articula para tentar enquadrar o primeiro-ministro nos poucos dias de sessões parlamentares que restam

O governo britânico quer acelerar as negociações com a Europa para evitar uma separação sem acordo em 31 de outubro. Pelo menos é essa a mensagem que o primeiro-ministro, Boris Johnson, transmite para a população local diante da histeria dos últimos dias.

Com a decisão polêmica de suspender o parlamento, aumentou muito a sensação de que o líder de governo deu um all-in para definir o Brexit. E a consequência mais provável é que o divórcio saia mesmo sem nenhum acordo com os europeus.

Boris Johnson determinou que integrantes de seu gabinete acelerem as reuniões com Bruxelas para tentar encontrar uma solução. A fronteira entre as Irlandas segue como principal fonte de impasse e os europeus insistem que cabe a Johnson apresentar uma alternativa.

Enquanto isso, a oposição também se articula para tentar enquadrar o primeiro-ministro nos poucos dias de sessões parlamentares que restam. O plano A é tentar passar uma lei na semana que vem que obrigue o primeiro-ministro a adiar o Brexit em busca de um acordo com a Europa.

Os cálculos dos políticos locais indicam que até 40 parlamentares conservadores estariam dispostos a votar contra o próprio governo.

Porém, é claro, também existem dissidentes do lado trabalhistas, aqueles que apoiam o Brexit mesmo sem acordo. Dessa forma, é difícil prever se o plano da oposição irá funcionar ou não.

As atividades na Câmara dos Comuns serão retomadas na próxima terça-feira (3) e a Europa segue acompanhando os desdobramentos meio entorpecida com a bola de neve que esta história se tornou.