Brasil precisa garantir a manutenção de contratos, diz Tarcísio

  • Por Jovem Pan
  • 21/04/2020 06h37 - Atualizado em 21/04/2020 08h46
Marcelo Chello/Estadão Conteúdo O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas Tarcísio de Freitas adianta que continuam em tramitação novas assinaturas para a estruturação de projetos

O governo trabalha para manter a confiança de investidores e para isto precisa manter os contratos dentro das regras acordadas, esta é a avaliação do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, que fez um alerta sobre propostas para suspender a cobrança de pedágio em rodovias federais em razão da pandemia.

Durante uma videoconferência com executivos ligados à Abdib, Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base, ele indicou que adotar esta prática, abriria um precedente perigoso ao país.

“No ponto de vista de saúde é desnecessário, porque muito se argumentou que o problema é  circulação de dinheiro. Isso é facilmente resolvido com álcool gel nas cabines, o cara acaba de dar o dinheiro e recebe o álcool gel para fazer sua higiene. Mas conseguimos segurar isso por enquanto, precisamos estar permanentemente vigilantes.”

De acordo com o ministro, se o Brasil incorresse numa quebra de confiabilidade, atrasaria o programa de concessões do governo. e uma programação de 100 bilhões de reais de investimentos, que segundo ele serão cruciais quando acabar a crise.

Tarcísio de Freitas adianta que continuam em tramitação novas assinaturas para a estruturação de projetos.

O ministério assinou com o BNDES o contrato para realização dos estudos de desestatização do Porto de Santos e das concessões de quase 8 mil quilômetros de rodovias.

O chefe da pasta de infraestrutura lembrou ainda que o investimento contratado até 2022 é de R$ 230 bilhões de reais e afirmou que neste campo é preciso fazer um amplo debate para que a regulação não se torne intervenção ou interferência do estado.

*Com informações do repórter Daniel Lian