Brasil terá resultado muito melhor que países da Europa no combate à pandemia, diz cardiologista com coronavírus

  • Por Jovem Pan
  • 06/04/2020 10h04 - Atualizado em 06/04/2020 11h34
Marlon Costa/Estadão ConteúdoKalil lembrou que 80% das pessoas que serão infectadas não vão ter sintomas, 15% terão poucos sinais e apenas 5% vai precisar de hospitalização

O Sistema Único de Saúde deve sair fortalecido após a pandemia do novo coronavírus. Essa é a avaliação do cardiologista Roberto Kalil Filho, que contraiu a covid-19 e está internado. “O SUS é brilhante, mas faltam recursos. Com certeza ele vai sair fortalecido dessa pandemia.”

Em entrevista ao Jornal da Manhã, o também professor titular de cardiologia da Faculdade de Medicina da USP disse que o Brasil teve mais tempo que outros países para se preparar para a chegada da doença.

“Demos a sorte da doença vir fora e pegar classes mais altas primeiro. O SUS teve tempo de se preparar, programar hospitais de campanha, Hospital das Clínicas também, muito antes do pico. Eu acho que o Brasil terá um resultado melhor que vários países da Europa em relação ao tratamento.”

Kalil lembrou que 80% das pessoas que serão infectadas não vão ter sintomas, 15% terão poucos sinais e apenas 5% vai precisar de hospitalização e tratamento intensivo. No caso dele, a confirmação da doença veio após uma pneumonia.

Ele não afirmou se fez ou não uso da cloroquina, mas disse que tomou “vários medicamentos” e confia no tratamento proposto pela equipe que o trata. “Em relação a esse remédio, existem muitos estudos que mostram benefícios e espero que mostrem sua eficácia. Mas tem vários estudos com vários remédios no mundo inteiro.”

Segundo Kalil, a confirmação de que o isolamento social tem efeitos positivos no combate à doença só vai vir com o tempo. “De acordo que a curva vá sendo achatada, os governantes podem flexibilizar. É preciso levar em conta que as regiões são diferentes, São Paulo é diferente. As atitudes devem ser mais radiais nesses estados.”