Brasília tem protesto contra Toffoli e lei do abuso de autoridade

  • Por Jovem Pan
  • 26/08/2019 06h55
MATEUS BONOMI/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDODurante os protestos, também se ouvia gritos pela instalação da chamada CPI do Lava-Toga pelo Senado e pela votação da PEC do fim do foro privilegiado

De um lado, um grande boneco inflável do ministro da Justiça, Sergio Moro, vestido de super-herói. Do outro, um do ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, protegendo o ex-presidente Lula e o ex-ministro José Dirceu. Vistas por quem chegava de longe, as duas atrações davam o tom da manifestação deste domingo, em Brasília.

Além de Gilmar Mendes, os ministros do STF Alexandre de Moraes e Ricardo Lewandowski e o presidente do Tribunal, Dias Toffoli, eram constantemente vaiados e criticados quando tinham os nomes citados pelos caminhões de som.

O descontentamento por decisões recentes da corte, como o inquérito instaurado por Toffoli contra fake news, é demonstrado pela fala da artista plástica Ana Lomonaco. “É um ‘Fora Toffoli’ porque, no STF, cuja incumbência é a defesa da Constituição, ele tem legislado.”

Entre as principais reivindicações de quem protestos na Esplanada dos Ministérios estão o veto integral à lei do abuso de autoridade aprovada pelo Congresso, apoio ao ministro da Justiça, Sergio Moro, e ao pacote anticrime, impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal, apoio à Operação Lava-Jato.

O projeto sobre o abuso de autoridade foi um alvo preferencial dos manifestantes. Para o militar Paulo Ramos, o presidente Jair Bolsonaro não pode aceitar a proposta. “Toda população brasileira espera que o presidente vete integralmente esse projeto que foi feito pelo Rodrigo Maia. Isso é, na verdade, um abuso contra a sociedade.”

Durante os protestos, também se ouvia gritos pela instalação da chamada CPI do Lava-Toga pelo Senado e pela votação da PEC do fim do foro privilegiado.
Um outro assunto que também repercutiu entre os manifestantes foi o meio ambiente. Cartazes em português, inglês e até em francês protestavam contra a postura de chefes de Estado europeus, que vêm criticando o governo brasileiro. O principal alvo foi o presidente da França Emmanuel Macron.

Durante a manhã, discursos defendiam a política ambiental do governo Bolsonaro.

A manifestação foi tranquila e, segundo a Polícia Militar, nenhum incidente foi registrado.

*Com informações do repórter Levy Guimarães