Brexit: Macron e Johnson querem avançar com acordo antes de janeiro

Britânicos e franceses celebraram os 80 anos de um famoso discurso realizado pelo general Charles De Gaulle

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 19/06/2020 08h35 - Atualizado em 19/06/2020 08h59
EFEO Brexit será finalmente concluído em 1º de janeiro de 2021, mas ainda existem muitas incertezas dos dois lados

O presidente da França, Emmanuel Macron, esteve em Londres na quinta-feira (18) para uma visita comemorativa — mas também bastante política. Britânicos e franceses celebraram os 80 anos de um famoso discurso realizado pelo general Charles De Gaulle. Em 1940, o então líder da resistência francesa utilizou a BBC para transmitir um discurso para a França ocupada pelos nazistas. No microfone da emissora estatal britânica, De Gaulle pediu para que os franceses não desistissem de lutar contra Adolf Hitler.

Hoje os conflitos que unem os dois lados do Canal da Mancha não são belicosos, mas nem por isso parecem menos desafiadores. As negociações para o futuro das relações entre Grã Bretanha e União Europeia continuam nos últimos meses do chamado período de transição. O Brexit será finalmente concluído em 1º de janeiro de 2021, mas ainda existem muitas incertezas dos dois lados. Boris Johnson e Macron discutiram as possibilidades de avançar com um acordo comercial entre os dois lados antes de janeiro.

A posição dos conservadores britânicos é de que o país não irá pedir uma extensão neste prazo e o Brexit será concluído seja como for. Para isso, Londres já começou a afrouxar algumas posições sobre tarifas de importação e questões regulatórias europeias. A principal preocupação do continente é não criar um grande adversário comercial à sua porta — com acesso direto ao mercado europeu. Mas o impasse não é bom para nenhum dos dois lados e por isso Macron e Johnson concordaram em acelerar o ritmo das negociações.

As imagens do encontro entre Macron e Johnson mostram os dois respeitando as regras de distanciamento social — sem abraços ou apertos de mãos para evitar a transmissão do coronavírus. Mas essa distância, na prática, não vai funcionar para os vizinhos que pretendem inclusive reabrir suas fronteiras o mais rápido possível.

Caças da Força Aérea Britânica sobrevoaram Paris marcando os laços históricos entre os dois países. Os aviões enfeitaram o céu da capital francesa com fumaça nas cores das bandeiras britânica e francesa. O tom amistoso das relações, neste momento, indica que há uma disposição clara de manter os laços entre os dois lados do Canal da Mancha estreitos mesmo depois do Brexit. Imagem que às vezes têm ficado bastante turva por conta das negociações burocráticas que estão em curso.