Bruno Covas defende desestatização e diz que burocracia emperra ações

  • Por Jovem Pan
  • 19/06/2018 06h25 - Atualizado em 19/06/2018 07h43
Agência BrasilBruno Covas também acrescentou que o projeto de desestatização do complexo do Anhembi caminha para desfecho no segundo semestre

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, defendeu, nesta segunda-feira (18), programa de desestatização em reunião com profissionais membros da Associação Brasileira de relações Institucionais e Governamentais.

Segundo o prefeito de São Paulo, é necessário haver estreitamento de setores público e privado, desde que as vantagens e benefícios sejam revertidas à área pública.

Uma das críticas de Bruno Covas se deu pela demora em lançar parcerias público-privadas pelo excesso de burocracia, e comentou que na cidade de São Paulo, os entraves estão sendo driblados: “a média delançamento de edital de PPP no país é de 800 dias. A gente está para conhecer os vencedores em um ano e meio de governo”.

Bruno Covas também acrescentou que o projeto de desestatização do complexo do Anhembi caminha para desfecho no segundo semestre.

O prefeito apontou que no dia 15 de setembro será conhecido o grupo que será gestor daquele espaço.

O Anhembi, o Autódromo de Interlagos, o aeroporto Campo de Marte e o Estádio do Pacaembu, somados, devem valer algo na casa de US$ 1,5 bilhão.

Na semana passada, Bruno Covas esteve em Londres, na Inglaterra, onde apresentou a investidores os ativos disponíveis para concessão ou privatização, como os 27 terminais rodoviários da cidade, os cemitérios, o sistema de semáforos, BRT, entre outros.

*Informações do repórter Fernando Martins