Bruno Covas participa de encontro de líderes com outros 40 prefeitos em NY

  • Por Jovem Pan
  • 23/07/2018 07h46 - Atualizado em 23/07/2018 07h52
Reprodução Prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) tem se mostrado adepto da chamada "nova política" envolvendo as alternativas de mobilidade urbana

A nova geração de políticos brasileiros tem recebido atenção internacional nos últimos anos. Nesta semana, a Blombeerg Philanthropy & Engagement program está promovendo, em Nova York, um curso extensivo para prefeitos e prefeitas de todo o mundo. O programa tem como intuito promover uma imersão no que diz respeito à criatividade e gestão pública.

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) é um 40 administradores municipais escolhidos para participar do curso. De acordo com Covas, São Paulo é uma cidade mundial que compete internacionalmente com grandes metrópoles e acaba chamando a atenção do mundo inteiro. Por isso, é preciso trocar experiências com outros prefeitos. “São Paulo é o hub, a porta de entrada para investimentos não só no Brasil, mas para toda América Latina”, destacou o mandatário.

Entre os principais temas do curso estão campanhas de redução de mortes no trânsito, calçadas adaptadas e acesso à ciclovias e ciclofaixas. “Entendo que essa é a nova política. A cada dia temos inovações e também podemos aplicar esses temas que não estavam na agenda há 20, 30 anos, na administração pública”, disse Covas.

O prefeito paulistano destacou que tem conversas em andamento com a ex-secretaria de transportes de Nova York,  Janette Sadik-­Khan , para promover parcerias e angariar investimentos para a capital paulista. “Nova York é um exemplo mundial em termos de ciclovias e estamos na fase final de elaboração de plano cicloviário para a cidade São Paulo. Queremos mostrar para ela o que pretendemos fazer em São Paulo e esperamos apresentar tudo ainda em julho para a população”, revelou Bruno Covas.

Quando questionado sobre a negativa do TCM (Tribunal de Contas do Município) de prorrogar, por mais um ano, o contrato emergencial com as empresas de ônibus que operam os coletivos do SP Trans, Covas disse que essa decisão foi tomada para evitar um colapso no sistema de ônibus da cidade de São Paulo. “Resolvi não entrar em nenhuma disputa jurídica com o TCM. Acatamos e a recomendação e transformamos a prorrogação em novos contratos emergenciais. Isso não traz nenhum prejuízo do ponto de vista econômico. É uma mera questão jurídica”, justificou o tucano.

Bruno Covas destacou ainda que a mega licitação dos transportes coletivos deve avançar ainda neste ano. “Esperamos que o TCM possa liberar essa edital no mês de agosto. Vamos ampliar o número de ruas que têm serviço de transporte público e vamos ampliar o número de vagas para dar mais conforto ao usuário do sistema de ônibus”, disse.

Já a licitação do Complexo do Pacaembu deve sair no decorrer do segundo semestre.

*Com informações do repórter Matheus Meirelles