Buenos Aires: Manifestantes dormem em avenida por ações contra a fome

  • Por Jovem Pan
  • 12/09/2019 07h41
EFEParticipantes do protesto dizem que ficarão na rua por pelo menos 48 horas

Em meio às eleições presidenciais na Argentina, a população decidiu pedir a decretação de emergência alimentar no país. Nesta quarta-feira (11), a Avenida 9 de Julho, em Buenos Aires, foi tomada por manifestantes em um dia com muitos protestos em frente à Casa Rosada, sede do governo.

Houve confrontos com a polícia quando os manifestantes tentaram interromper o trânsito de ônibus na região. Segundo militantes de movimentos sociais, eles irão permanecer na via por, pelo menos, 48 horas. Várias famílias com crianças se prepararam para passar a noite na rua.

A previsão é que, nesta quinta-feira (12), o Congresso receba um projeto de lei de emergência alimentar, que permite aumentar os recursos destinados a subsídios.

A Argentina vem passado por uma grave crise econômica e está entre os países com as maiores taxas de inflação do mundo. Em 2018, a pobreza aumentou 32% e, no primeiro trimestre deste ano, o desemprego cresceu 10%.

A crise se agravou com a derrota do atual presidente do país, Maurício Macri para o candidato de centro-esquerda e companheiro de chapa de Cristina Kirchner, Alberto Fernandez, nas eleições primárias. O novo presidente da Argentina será escolhido no dia 27 de outubro.

*Com informações da repórter Camila Yunes