Cabral promete fazer denúncias contra seu operador financeiro, Georges Sadala

Sadala foi preso pela operação C’Est Fini, em 2017, que desvendou a ‘Farra dos Guardanapos’, em Paris

  • Por Rodrigo Viga
  • 03/05/2019 09h43
Estadão ConteúdoO ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (MDB)

Sérgio Cabral Filho (MDB) vai estar novamente frente a frente com o juiz Marcelo Bretas. O encontro está marcado para o fim deste mês. O ex-governador do Rio de Janeiro promete apresentar novas denúncias.

Segundo fontes, o alvo da vez será o empresário Georges Sadala, que foi preso pela operação C’Est Fini, em 2017 — aquela que desvendou a famosa ‘Farra dos Guardanapos’. O encontro foi bancado com dinheiro público, na capital da França, Paris, e reuniu todos os integrantes do esquema do lado do Executivo, ligados à gestão de Cabral, e também do setor empresarial. A conta da viagem, dizem, foi milionária.

Sadala tinha contratados com Cabral, durante o governo do ex-governador. Um deles era o do programa Poupatempo, que visa reduzir o tempo de emissão de documentos para famílias de baixa renda. Só esse contrato era de amis de R$ 130 milhõess.

Cabral promete também estabelecer conexão entre a família Sadala e a Barbalho, que há anos domina a política do Pará. Uma empresa ligada à família teria participado indiretamente da construção da linha 4 do metrô, para a Olimpíada de 2016. As obras tinham orçamento inicial de R$ 6 bilhões e terminaram em R$ 10 bilhões.

O emedebsita também vai promete denunciar o ex-senador do MDB Luiz Otávio Campos, ligado à família Barbalho.

Condenado a mais de 200 anos de prisão e detido desde o final de 2016 no âmbito da Operação Lava Jato, o ex-governador do Rio de Janeiro tenta, a todo custo, fechar um acordo de delação premiada. Por isso, decidiu agora falar o que sabe.