Campanha contra vacinação é feita por pessoas irresponsáveis e inconsequentes, diz David Uip

  • 02/03/2019 09h51
Valdecir Galor/SMCS “A saúde vem perdendo protagonismo e as pessoas não se conscientizam dos esquemas de vacinação. Tem que ter política pública para vacinar”, disse

A meningite meningocócica, que vitimou o neto do ex-presidente Lula nesta sexta-feira (1º), possui uma forma aguda e pode ter uma evolução fatal caso não seja percebida a tempo. “É uma doença extremamente grave, mas hoje temos 12 sorotipos de meningococo, e tem vacina”, alerta o médico infectologista e ex-secretário da Saúde do Estado de São Paulo, David Uip.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, David Uip lamentou a morte de Arthur Araújo Lula da Silva e reiterou que alguns sorotipos da doença podem ser prevenidos por vacina.

Sobre a vacinação, David Uip ressaltou que o Brasil tem um bom programa de imunizações e elogiado por organismos internacionais, mas demonstrou que a saúde vem perdendo o protagonismo. “A saúde vem perdendo protagonismo e as pessoas não se conscientizam dos esquemas de vacinação. Tem que ter política pública para vacinar”, disse.

Segundo David Uip, as campanhas anti-vacinação “são feitas por pessoas absolutamente irresponsáveis” e sem embasamento técnico e científico: “irresponsáveis e inconsequentes”. O médico destacou ainda que não se pode admitir doenças como sarampo, rubéola e poliomielite voltarem ao cenário sendo que há vacinas que as previnem.

A respeito de outras doenças, David Uip alertou para o aumento de casos de sarampo, tuberculose e aids. “Momento triste da saúde pública brasileira”.

Já a vacina contra a dengue, conforme destacou Uip, está em fase final do ensaio clínico e terá proteção contra quatro sorotipos, em dose única e será acessível à população. No que tange à febre amarela, ainda há uma luta para se vacinar as pessoas. “Como se acaba com a febre amarela? Vacina todo mundo!”.

Aproveitando a época de Carnaval, David Uip fez o alerta para doenças sexualmente transmissíveis: “a população tem que se divertir, fazer suas opções, mas tem que ter cuidado com si próprio e com os outros. Usar preservativos. Pessoas se divirtam mas se previnam”.

Confira a entrevista completa com o médico infectologista David Uip: