Cardiologista acusado de abusos sexuais durante consulta tem prisão preventiva decretada

  • Por Jovem Pan
  • 18/01/2019 06h35
ReproduçãoApós a divulgação da denúncia contra o cardiologista, pelo menos 33 mulheres procuraram a delegacia de Defesa da Mulher para registrar relatos semelhantes de abuso sexual

A Justiça aceitou a denúncia contra o médico cardiologista, Augusto César Barreto Filho, de 74 anos, e determinou a prisão preventiva do acusado de abuso sexual. A decisão foi do juiz, João Pedro Barbosa, da 2ª Vara Criminal da Comarca de Presidente Prudente, interior de São Paulo.

A denúncia foi apresentada na segunda-feira (14) pelo Ministério Público. Augusto César Barreto Filho é acusado do crime de violação sexual mediante fraude. Os abusos teriam ocorrido dentro do consultório clínico do médico, em Presidente Prudente.

O promotor de Justiça Cláudio Machado explicou que os crimes eram cometidos desde 2008: “a pretexto de realizar exames clínicos em seu consultório acabava tocando as partes íntimas de pacientes, colocando a mão da paciente em seu órgão genital”.

Após a divulgação da denúncia contra o cardiologista, pelo menos 33 mulheres procuraram a delegacia de Defesa da Mulher para registrar relatos semelhantes de abuso sexual.

De acordo com o Ministério Público, em depoimento à Polícia Civil, ele negou os fatos e disse que vai se manifestar em juízo.

O médico também é alvo de uma sindicância do Conselho Regional de Medicina de São Paulo, sob suspeita de assédio. Ela foi instaurada em julho do ano passado e continua em andamento.

A defesa entrou com um pedido de cancelamento do registro profissional no Cremesp, mas a solicitação foi negada pelo órgão. Cancelar o registro anularia eventuais punições ao médico.

*Informações da repórter Natacha Mazzaro