Carlos Arthur Nuzman, presidente do COB, é preso pela PF

  • Por Jovem Pan
  • 05/10/2017 06h43
José Cruz/Agência BrasilA ação desta quinta é um desdobramento da Unfair Play, etapa da Lava Jato deflagrada no Rio de Janeiro

Agentes da Polícia Federal e do Ministério Público Federal prenderam Carlos Arthur Nuzman, na manhã desta quinta-feira (05). Ele é presidente do Comitê Olímpico Brasileiro há 22 anos e chefiou o Comitê Rio 2016. Também foi preso o diretor-geral de operações do comitê Rio 2016, Leonardo Gryner.

A ação desta quinta é um desdobramento da Unfair Play, etapa da Lava Jato deflagrada no Rio de Janeiro. O objetivo agora é cumprir mandados contra suspeitos de comprar jurados que elegeram o Rio como cidade-sede da Olimpíada.

Os presos serão indiciados por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Segundo o Ministério Público, o pedido de prisão foi expedido pois Nuzman tentou ocultar bens após a operação da PF em setembro.

O juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, ordenou os pedidos de prisão.

No mês de março, o Le Monde havia denunciado o pagamento de propina feito três dias antes da escolha da cidade a dirigentes do Comitê Olímpico Internacional.

Em setembro, o Ministério Público federal pediu o bloqueio de até R$ 1 bilhão de Nuzman, do empresário Arthur Cesar Soares de Menezes Filho, conhecido como “rei Arthur”, e de Eliane Pereira Cavalcante, ex-sócia de Arthur.

O esquema contaria ainda com a participação do ex-governador Sérgio Cabral, já preso e condenado na Lava Jato.