Casa Civil de RR diz que Governo tem posição conflitante sobre fronteira e critica GLO no Estado

  • Por Jovem Pan
  • 30/08/2018 09h22
Antônio Cruz/Agência BrasilSegundo ele, “a essa altura, limitar acesso não vai surtir o efeito que o Governo Federal imagina”

Primeiro o Governo anunciou que daria senhas para a entrada de venezuelanos na fronteira com Roraima, depois recuou e afirmou que estas seriam ara atendimento aos imigrantes. A posição conflitante do Governo é observada pelo governo estadual.

“Uma hora diz que não pode fechar fronteira, outra hora diz que vai distribuir senha e a grande verdade é que fronteira segue regras da constituição e internacionais e algo assim só pode ser decidido pelo Supremo Tribunal Federal”, disse em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã o secretário da Casa Civil de Roraima, Frederico Linhares.

Segundo ele, “a essa altura, limitar acesso não vai surtir o efeito que o Governo Federal imagina”. Entre os problemas observados no Estado com a chegada diária de venezuelanos estão: uso de 40% da oferta de saúde por parte de imigrantes, aumento sensível da mancha criminal e recursos limitados para a educação.

Sobre a verba de R$ 190 milhões encaminhadas pelo Governo, Linhares disse que o dinheiro foi destinado às Forças Armadas para montar abrigos e alimentar os abrigados. “Isso é uma face do problema. Dinheiro não veio ao governo do Estado, continua no Governo Federal. Quando o imigrante precisa de cirurgia, maternidade, são unidades estaduais que eles procuram”, disse.

Sobre a Garantia da Lei e da Ordem implantada no Estado recentemente, o secretário afirmou que ela é desnecessária neste momento. “A formatação concebida não atende as nossas expectativas, foi só para patrulhar fronteira e rodovia e nosso problema é criminalidade urbana”, finalizou.

Confira a entrevista completa com o secretário da Casa Civil de Roraima, Frederico Linhares: