Caso seja eleito, Bolsonaro mudará presidentes de estatais

  • Por Jovem Pan
  • 24/10/2018 06h12
Tânia Rêgo/Agência BrasilA tendência é que os presidentes de Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Petrobras e Eletrobras sejam desligados

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, vai definir nomes de ministros e presidentes de estatais em até 30 dias após a eleição e não vai manter nenhum CEO de empresa pública brasileira.

A declaração foi dada nesta terça-feira (23), no Rio de Janeiro, pelo presidente do PSL, Gustavo Bebianno Rocha. Segundo ele, a tendência é que os presidentes de Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Petrobras e Eletrobras sejam desligados, caso Bolsonaro seja eleito neste domingo (28).

Os nomes para substituir os CEOs nas companhias não foram revelados para evitar especulações.

Bebianno, entretanto, não descartou a possibilidade de se manter o atual presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, no comando da instituição caso a eleição se confirme.

No último fim de semana a mesma indicação já tinha sido dada pelo próprio Bolsonaro. Bebianno acrescentou que Bolsonaro não vai querer buscar negociações para conseguir as presidências da Câmara e Senado. Na avaliação dele, a concentração de poder não seria saudável ao País.

Se Bolsonaro for eleito, a equipe de transição já começa a trabalhar na terça-feira (30).

Confira a cobertura completa das Eleições 2018

*Informações do repórter Rodrigo Viga