Catador de recicláveis está em estado grave após ser agredido violentamente na Zona Leste, em SP

Agressor era funcionário de uma transportadora que prestava serviço para a empresa Marabraz; família de Cícero Joaquim de Lima Filho pede justiça

  • Por Jovem Pan
  • 05/09/2020 12h08
ReproduçãoCícero, que tem 53 anos, está em coma desde terça-feira

A família do catador de materiais recicláveis, Cícero Joaquim de Lima Filho, luta por justiça. Cícero, que tem 53 anos, está em coma desde terça-feira, 1º, quando foi espancado enquanto trabalhava pelas ruas do bairro São Miguel Paulista, no extremo leste da capital. Câmeras de segurança flagraram o momento da agressão. O homem que bateu em Cícero é funcionário de uma transportadora que prestava serviço para a empresa Marabraz. Ele desce de um caminhão e logo desfere um soco na cara de Cícero, que cai de cabeça no chão, já desacordado.

A irmã do catador, Rosemari de Lima Filho, contou que ele está internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) em estado gravíssimo. “Chamaram o Samu, veio, levou pro Santa Marcelina. Ele chegou e foi direto para a UTI. Mas no Santa Marcelina no Itaim Paulista não tinha recursos, e ele está com uma fratura craniana gravíssima e uma veia do cérebro atada. A gente vai fazer uma transferência para ele”, contou Rosemari.

A vontade da família, ainda segundo Rosemari, é que o agressor seja responsabilizado pelo o que fez. “Ninguém pode sair por aí batendo em todo mundo até a pessoa chegar na UTI. Atualmente, funcionário é hostilizado, leitorista da Enel, policial, até jornalista… Acontece isso. Queremos justiça, que ele pague pelo que fez, não é justo”, continuou. A família registrou um Boletim de Ocorrência na 22ª Delegacia de Polícia em São Miguel Paulista. Em nota, a Marabraz disse que a empresa para qual o agressor prestava serviços é terceirizada e lamentou e repudiou o ocorrido. Ainda segundo a companhia, assim que soube do caso, suspendeu imediatamente o contrato com a transportadora e está prestando todo o apoio à família.

* Com informações do repórter Leonardo Martins