CCJ do Senado pode votar PEC da 2ª instância nesta semana

  • Por Jovem Pan
  • 18/11/2019 06h31
Marcos Oliveira/Agência SenadoDe acordo com a presidente da CCJ, Simone Tebet, após aprovação da CCJ, projeto irá à plenário

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal, Simone Tebet (MDB-MS), pretende levar à Casa, nesta quarta-feira (20), cinco projetos que já estão com relatórios aprovados ou apresentados, e que tratam da prisão após condenação em segunda instância.

Segundo ela, o objetivo não será alterar o artigo 5º da Constituição, que trata das garantias e direitos fundamentais, e sim tratar de mudanças no Código de Processo Penal, que exige, inclusive, um número de votos bem menor que uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) para ser aprovada.

A senadora ressalta que teve a garantira do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) de que, uma vez aprovada a proposta na CCJ, ela será encaminhada ao plenário. “E esta semana vai ser importante para que serenemos os ânimos e para que nós possamos avançar no texto ideal para o país”, disse.

Tebet avalia que, a partir da apresentação dos projetos, deverá ser feito um pedido de vista coletiva. Depois, a ideia é juntar todas as propostas em um texto único, que deverá estar pronto para ser levado à CCJ no próximo dia 27 de novembro.

Alcolumbre alertou, no entanto, que ainda será preciso conversar com as lideranças. Ele admite que, mesmo a proposta de alterar apenas o Código de Processo Penal, sem mexer na Constituição, pode gerar questionamentos jurídicos. “Alguns falam que ela não interfere, outros falam que interfere. Mesmo mencionando outros artigos, eles se remetem ao 5º. E como o 5º é cláusula pétrea, a gente continua em um impasse”, explicou.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin