Centrão e oposição articulam e relator tira Lula e Dilma de CPI do BNDES

  • Por Jovem Pan
  • 17/10/2019 06h34
MAURICIO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOCom a decisão do relator de retirar o pedido de indiciamento dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff, a oposição obstruiu os trabalhos

A Comissão Parlamentar de Inquérito instalada na Câmara para investigar empréstimos concedidos pelo BNDES durante os governos petistas tem até terça-feira (22) para votar o relatório elaborado pelo deputado Altineu Côrtes.

Os membros do colegiado até tentaram concluir a análise do parecer nesta quarta-feira (15), mas, mesmo com a decisão do relator de retirar o pedido de indiciamento dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff, a oposição obstruiu os trabalhos e impediu a votação.

De acordo com o deputado Altineu Côrtes a ideia era justamente diminuir a resistência para possibilitar a votação e evitar que, mais uma vez, uma CPI do BNDES acabe sem resultados.

“Nós temos mais de 55 nomes aqui a serem indiciados no nosso relatório e desvios de bilhões de reais. Eu espero que, pela primeira vez, a gente consiga aprovar um relatório. Se não é o todo que a gente gostaria, é o que seria possível neste momento.”

A oposição não mudou de postura porque a avaliação é que não há provas para imputar culpa a nenhum dos indiciados. Para o deputado petista Pedro Uczai o relatório mostra que não houve crime nos empréstimos concedidos pelo BNDES.

A estratégia, de fato, não deu certo, e fez com que o relatório passasse a ser criticado, inclusive, por parlamentares que apoiam os indiciamentos, como é o caso do deputado do partido Novo, Alexis Fonteyne.

De qualquer forma, é bom deixar claro que, apesar de ter poder de polícia, a CPI apenas sugere indiciamentos.

O fato é que essa é a terceira CPI criada no Congresso nos últimos quatro anos para investigar irregularidades no BNDES durante os governos de Lula e Dilma.

Em nenhuma das outras duas as sugestões de indiciamentos foram aceitas.

*Com informações do repórter Antônio Maldonado