Chico Alencar fala em indícios fortes de execução de vereadora: “é gente que sabe matar”

  • Por Jovem Pan
  • 15/03/2018 09h49
Zeca Ribeiro/Câmara do Deputados"Um carro emparelha com outro e Marielle leva quatro tiros na cabeça. Isso é gente que sabe atirar, sabe matar e queria perpetrar o crime”, ressaltou o deputado

A morte da vereadora do PSOL Marielle Franco nesta quarta-feira (14) vem causando especulações a respeito de um motivo, já que ela havia denunciado abuso de policiais militares no Rio de Janeiro. No último sábado (10), em seu perfil nas redes sociais, ela fez uma denúncia contra policiais do 41º Batalhão de Acari. Somado a isso, Marielle havia assumido também, ha duas semanas, a função de realtora da Comissão da Câmara de Vereadores do Rio, criada para acompanhar a atuação das tropas na intervenção federal.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) lamentou a morte da companheira de partido e disse que os indícios são fortes. “A gente tem que se empenhar com coragem e firmeza para reverter o absurdo de 90% dos homicídios ficarem sem esclarecimento e, consequentemente, sem punição. Os indícios de que foi crime de execução são fortíssimos. Um carro emparelha com outro e Marielle leva quatro tiros na cabeça. Isso é gente que sabe atirar, sabe matar e queria perpetrar o crime”, contou.

O deputado cobrou ainda que a Polícia Civil do RJ “tenha a eficiência que notadamente não costuma ter” para resolver este crime, e acrescentou que conversou com o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann. “Ele me ligou para colocar a Polícia Federal à disposição. Vamos avaliar o andamento da investigação, mas já existe essa supervisão. Nada devolve a vida deles, é perda dolorosa. Esse sangue tem que semear um país novo, mais justo, menos violento”, afirmou.

Na conversa com Jungmann, Chico Alencar disse ainda que o ministro levantou a hipótese de que a morte tenha sido um “recado” e que “grupos que tenham medo de enfrentamento da corrupção nas polícias estão querendo o pior”.

Sobre a intervenção no RJ, Chico Alencar, evitou falar sobre o assunto e ressaltou que o partido é a favor da vida plena e “não dessa barbárie”.

Confira a entrevista completa com o deputado Chico Alencar: