Ciclone Kenneth deixa ao menos 38 mortos e mais de 168 mil pessoas afetadas

O ciclone provocou tempestades e rajadas de vento de até 280 km/h

  • Por Jovem Pan
  • 30/04/2019 06h28 - Atualizado em 30/04/2019 10h24
ReproduçãoO ciclone é o segundo que atinge Moçambique em menos de dois meses. O Idai atingiu o país no dia 14 de março

O ciclone Kenneth, que atingiu a costa de Moçambique na última quinta-feira (25), já deixa 38 mortos e mais de 168 mil pessoas afetadas.

O ciclone provocou tempestades e rajadas de vento de até 280 quilômetros por hora.

A cidade de Pemba, no nordeste do país, foi a que mais sofreu estragos. A morada do local, Tina Machude, contou como foi o momento em que sua casa foi atingida: “começaram as coisas a cair em cima de mim, então saí correndo e deixei a porta aberta, quando começou a tudo cair. Saímos correndo para fora”.

Os militares do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, que está em Moçambique desde que o país foi atingido pelo ciclone Idai, atuaram em Pemba, no resgate corpos de vítimas do soterramento de uma casa. A residência havia sido coberta por resíduos de um lixão da cidade. Ao todo, foram resgatados 4 corpos.

Chuvas fortes continuam afetando as localidades e, pela segunda vez, voos de ajuda humanitária não puderam decolar. As estradas para os distritos rurais mais ao norte da região foram inundadas pela água e ficaram intransitáveis.

O ciclone é o segundo que atinge Moçambique em menos de dois meses. O Idai atingiu o país no dia 14 de março.

*Informações da repórter Victoria Abel