Cidade amanheceu “tranquila e atendida”, diz secretário após forte chuva em São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 21/03/2018 08h39
Ronaldo Silva/Estadão ConteúdoPersoli afirmou que a resposta foi imediata e que nesta quarta-feira (21) a cidade amanheceu “tranquila, atendida e não teve ocorrência que se desdobrou até hoje”

Mesmo após as mortes de duas pessoas serem registradas na cidade de São Paulo por conta das chuvas nesta terça-feira (20), o secretário-adjunto das Prefeituras Regionais de São Paulo, Milton Persoli, afirmou que o município executa atividades preventivas em momentos como o ocorrido.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, Persoli lamentou a morte de uma idosa no bairro do Limão e de uma menina na comunidade do Sapo. O secretário afirmou ainda que trabalhos preventivos são feitos regularmente e a cidade está submetida a plano preventivo de Defesa Civil, onde todas as secretarias relacionadas a enchentes estão em sistema de plantão, 24h.

Sobre as consequências da chuva em São Paulo nesta terça, Persoli afirmou que a resposta foi imediata e que nesta quarta-feira (21) a cidade amanheceu “tranquila, atendida e não teve ocorrência que se desdobrou até hoje”.

Entre as obras preventivas estão a construção de piscinões, os quais Persoli admitiu ainda não serem suficientes: “Temos 20 piscinões. Tivemos construção de dois piscinões em 2017 e dois em 2018. São insuficientes? Sim, mas fazem parte do plano macro de drenagem”.

O secretário-adjunto atribuiu ainda a responsabilidade pelo atendimento inicial aos Bombeiros e não à Defesa Civil.

“O Corpo de Bombeiros é responsável pelo atendimento inicial da ocorrência. Enquanto tiver procedimento de salvamento de vítima, ele fica a cargo da ocorrência. Quando não existe mais risco e nenhuma atividade a ser executada pelo Corpo de Bombeiros, passa à Defesa Civil”, disse.

Confira a entrevista completa com o secretário-adjunto das Prefeituras Regionais de São Paulo, Milton Persoli:

Confira relato da filha da idosa que morreu após ser arrastada pela enchente: