Cientistas voltam a criticar redução de verbas para pesquisas em ciência e tecnologia

  • Por Jovem Pan
  • 04/10/2017 07h57 - Atualizado em 04/10/2017 11h05
ReproduçãoA verba reservada para a pasta, que era de quase R$ 6 bilhões em 2016, foi reduzida em 44% e chegou a R$ 3,2 bilhões neste ano

O Governo federal confirmou, nesta terça-feira (03), a redução das verbas liberadas para o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações.

A pasta, que esperava receber R$ 2,2 bilhões até o final do ano terá direito a apenas R$ 440 milhões, para os próximos meses – ou seja, apenas 20% da verba pleiteada.

Segundo o Ministério da Ciência e Tecnologia, a maior parte dos recursos irá para o financiamento de bolsas de estudo.

O Ministério diz que continua trabalhando pela recomposição do orçamento de 2017 e que “os valores para 2018 ainda estão sendo discutidos”.

O anúncio acontece poucos dias após um grupo de 23 ganhadores do prêmio Nobel enviar uma carta ao presidente Michel Temer, reclamando dos cortes.

No texto, os cientistas manifestaram preocupação com as diminuições nos repasses para ciência e tecnologia no Brasil.

A verba reservada para a pasta, que era de quase R$ 6 bilhões em 2016, foi reduzida em 44% e chegou a R$ 3,2 bilhões neste ano.

Na carta, os pesquisadores alegam que, em outros países, a crise econômica levou a cortes de 5% a 10%, mas que, no Brasil, o índice chega a quase 50%.

No próximo domingo, a Avenida Paulista deve receber mais uma manifestação da Marcha pela Ciência – um protesto contra o contingenciamento.

O ato é organizado pela Academia de Ciências de São Paulo e pela Associação dos Pesquisadores Científicos do Estado.

*Informações do repórter Vitor Brown