Cinco mulheres são mortas por dia vítimas de feminicídio, aponta levantamento

Crimes acontecem, na maioria das vezes, na própria casa das vítimas e os agressores são companheiros ou ex

  • Por Jovem Pan
  • 04/03/2021 10h27
PixabayPesquisadora indica ainda a necessidade de ampliar os canais de atendimento

Um estudo revelou que há cinco casos de crimes de feminicídio e violência contra as mulheres por dia. O levantamento da Rede de Observatórios da Segurança foi realizado em cinco estados através de 1.823 casos monitorados — entre eles, estão 449 feminicídios em 2020. A pesquisadora da entidade, Ana Letícia, diz que é preciso acabar com as distorções sobre a tipificação dos delitos. “Muitas vezes, um caso que nitidamente é um caso de feminicídio pode acontecer de ser classificado como uma lesão corporal ou homicídio doloso. Isso não pode acontecer porque quando a gente deixa, a gente perder esse dado, a gente perde a oportunidade de um melhor mapeamento para garantir politicas publicas efetivas em relação a essas vítimas.”

O problema está espalhado por todo o país e os números assustam: 200 mulheres foram mortas em São Paulo. O Estado concentra 40% dos casos monitorados pela instituição. Pernambuco é o que registra o maior patamar de balas perdidas: 16 mulheres morreram dessa forma. O Rio de Janeiro registrou alta taxa de agressões, com 27 episódios. A Bahia anotou 26 estupros ou violência sexual. Já o Ceará assinalou 23 boletins sobre tortura, cárcere privado e sequestro. A pesquisadora indica ainda a necessidade de ampliar os canais de atendimento. “Expansão do atendimento, do horário de atendimento nos equipamentos, como nas delegacias, e também que as instituições da Polícia e da Justiça possam trabalhar para que exista uma possibilidade de fazer a denúncia de forma online.” A hostilidade ocorre na maioria das vezes na própria casa das vítimas e os agressores normalmente são companheiros ou ex-companheiros.

*Com informações do repórter Daniel Lian