Clima e umidade influenciam o coronavírus, diz assessor da OMS

  • Por Jovem Pan
  • 30/03/2020 08h56
JúLIO GOMES/LEIAJÁIMAGENS/ESTADÃO CONTEÚDODe acordo com ele, o Brasil deve se comparar com os números da Austrália e da Indonésia pela proximidade climática

A umidade, temperatura e o clima fazem toda a diferença na proliferação do novo coronavírus, por isso não devemos nos espelhar nas medidas adotadas por esse países. Essa é a avaliação do Anthony Wong, que é chefe do centro de Assistência Toxicológica do Instituto da Criança.

Em entrevista ao Jornal da Manhã, o pediatra e toxicologista, que também é assessor da OMS, explicou que a curva de casos e mortes em relação ao coronavírus não deve ser comparada a curvas de países do Hemisfério Norte. “A temperatura na Itália, Estados Unidos e Espanha faz com que os índices sejam maiores. O Brasil teve em quatro semanas — 4256 infectados e 136 óbitos — a metade do que a Itália teve em um dia. É importante lembrar disso.”

De acordo com ele, o Brasil deve se comparar com os números da Austrália e da Indonésia pela proximidade climática. “Estudos de faculdades internacionais, como renomadas, como Harvard e MIT, mostram que o clima e a umidade influenciam na propagação do vírus.”

Segundo Anthony, é preciso ficar atento também com as medidas de isolamento. “Isolamento forte pode aumentar a possibilidade de rebote. Então quando aqui chegar o inverno, também pode acontecer. É o que a China está experimentando: um pequeno surto com a liberação da quarentena.”

Cloroquina

Anthony Wong ressalta que, como um estudioso sobre o assunto, o uso da cloroquina “faz sentido”. “Estudos anteriores, com outros tipos de coronavírus, mostraram que inibe o crescimento. O resultado clínico desses estudos foram quase espetaculares, principalmente em casos já desenganados.”

Ele explicou que a cloroquina age para que as bactérias oportunistas que causam pneumonia, por exemplo, não tenham força ou oportunidade para agir. “No sentido farmacológico, faz muito sentido.”

O assessor da OMS destacou que o Brasil tem um estoque muito grande do medicamento porque ele é fácil de fabricar. Por isso, também é fácil de ser encontrado nas farmácias. Porém, ele alerta. “Não é um remédio isento de efeitos adversos, então só deve ser usado sob supervisão médica.”