Clima seco em SP deixa população preocupada com doenças respiratórias

  • Por Jovem Pan
  • 27/07/2017 06h35 - Atualizado em 27/07/2017 11h19
21-01-2015 - São Paulo. Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas“Desde o dia 13 de junho que não chove de maneira forte em São Paulo. Esse quadro não deve mudar nos próximos dias”, explicou o especialista

Depois de 43 dias sem chuva, o clima seco na cidade de São Paulo deixa população preocupada com doenças respiratórias. Nesta quarta-feira (26), a umidade relativa do ar ficou em torno de 35%, próximo ao estado de atenção, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE).

Pelas ruas, as pessoas reclamam do clima e confessam sentir o impacto da falta de umidade. Além disso, elas contam o que fazem para não sofrer com o clima seco.

O médico de família e consultor Jovem Pan, Alfredo Salim Helito, explicou que essas pessoas estão seguindo as orientações corretas.

Para o especialista, hidratar as mucosas do corpo, como, olhos, nariz, boca e brônquios, é essencial: “o ideal, além de tudo, é a pessoa se hidratar bem. Ingerir boa quantidade de líquidos”.

E até mesmo aquela velha dica da bacia com água dentro de casa acaba valendo para tentar deixar os dias menos secos, já que Adilson Nazário, técnico em meteorologia do CGE disse que até o fim do mês, nada de chuva é previsto. “Desde o dia 13 de junho que não chove de maneira forte em São Paulo. Esse quadro não deve mudar nos próximos dias”, explicou.

Para os próximos dias, as madrugadas permanecerão frias, mas o tempo aberto proporciona dias ensolarados, secos e temperaturas acima da média durante as tardes.

Nesta quinta-feira, em São Paulo, a mínima deve ficar em 11ºC e, no período da tarde, próximo dos 24ºC.

*Informações do repórter Fernando Martins