Com aquecimento global, ondas de calor devem ser mais fortes e duradouras, diz estudo

  • Por Jovem Pan
  • 20/08/2019 07h40 - Atualizado em 20/08/2019 09h39
EFENa Itália, termômetros chegaram a 50ºC

Um mundo com aumento de 1ºC na temperatura média deverá ter clima seco e quente por períodos mais longos. Um estudo publicado pela revista científica Nature Climate Change conseguiu quantificar – com base em estatísticas – as mudanças causadas pelo aquecimento global. Os resultados preveem dias quentes com mais frequência e o aumento das chances de que fortes ondas de calor durem mais que duas semanas.

A probabilidade que períodos secos e quentes se estendam por mais de duas semanas na América do Norte é 10% maior. O estudo ainda prevê alta de 26% das chuvas em zonas temperadas do norte do planeta.

À medida que o planeta aquece, a circulação atmosférica enfraquece. Isso significa que o processo de movimentação das massas de ar sofre uma desaceleração – e condições quentes e secas se desenvolvem nos continentes. Além disso, fenômenos climáticos como furacões e tufões podem persistir por mais tempo em um lugar.

Neste ano, pelo menos oito países da Europa ultrapassaram recordes de temperaturas quentes, com registros de 50ºC na Itália. Japão e Canadá também registraram fortes ondas de calor neste ano. Nos Estados Unidos, as chuvas não deram trégua e o país registrou os 12 meses mais chuvosos da história.

*Com informações da repórter Nanny Cox