Com aval da Prefeitura, obra de túnel ao lado da Av. Paulista gera polêmicas

  • Por Jovem Pan
  • 18/12/2019 07h03 - Atualizado em 18/12/2019 08h16
Reprodução O custo do boulevard, incluindo o túnel, é de R$ 130 milhões de reais - com entrega prevista para 2022

Um projeto de construção de um túnel em uma rua paralela a Avenida Paulista está gerando muita polêmica em São Paulo. A ideia da construção na Rua São Carlos do Pinhal, antes mesmo do início das obras, já foi parar na Justiça.

A proposta do empreendimento Cidade Matarazzo – que terá quase 30 mil metros quadrados englobando hotel, unidades comerciais, feira orgânica, capela e centro cultural – é erguer em 10 mil metros de área um calçadão e rebaixar a pista por onde os carros passam, criando um boulevard.

Esta modificação, que será bancada pelos idealizadores, tem causado controvérsia. Aqueles que moram e trabalham na região estão dentro de um impasse.

Raphaela Galletti é representante da Associação dos Moradores da Consolação e adjacências e diz que tudo foi feito sem que houvesse a participação da população. “A surpresa foi que o chamamento já veio com a obra pré-concebida, não com ele aberto para que nós trouxéssemos uma viabilidade.”

Para o advogado, Fernando Koin – representante de parte dos moradores e usuários, e que também trabalha próximo ao local – apenas o empreendimento imobiliário será favorecido e haverá uma piora na acessibilidade devido a elevação da via.

“Quem precisar de acessibilidade terá dificuldade. Você vai piorar as condições naturais que você tem na via hoje, ainda que as rampas estejam no padrão legal.”

Pelo projeto, a entrada do túnel será logo após o cruzamento com a Rua Pamplona – e, depois de passar por baixo das ruas Rio Claro e Itapeva, vai desembocar no viaduto.

O morador Rodrigo Cardin diz que nenhum habitante foi avisado, e que foi pego de surpresa. “Parece incrível, né? Mas eu fiquei sabendo com uma brincadeira dos seguranças na calçada.”

O presidente da Associação dos Moradores da Bela Vista, Claudinho Nascimento, reclama que deveriam ser feitos investimentos em áreas carentes do bairro. “Somos carentes de uma boa obra, de um CDC. Não vejo nenhum empreendimento querendo investir na Bela Vista, só em torno da Paulista.”

Há também quem entenda que ocorrerá uma valorização no bairro. O engenheiro Sérgio Roberto Teixeira acredita que a transformação da alameda Rio Claro numa rua sem saída muda o panorama.

“Além da valorização normal que já teríamos devido ao empreendimento, vamos ter uma valorização adicional com o fato da rua virar sem saída, só com o trânsito local.”

A arquiteta que projetou o complexo, Adriana Levinsky, garante que não haverá prejuízo aos moradores e que o tráfego não será interrompido durante o período da obra. “A via será dividida ao meio, em duas partes. Portanto, a obra vai acontecer em duas etapas para que sempre se garanta a fluidez da rua.”

O custo do boulevard, incluindo o túnel, é de R$ 130 milhões de reais – com entrega prevista para 2022. Em contrapartida, o setor privado poderá explorar a área por 30 anos.

A Prefeitura já deu o aval, porém restam algumas autorizações.

*Com informações do repórter Daniel Lian