Com data do Brexit marcada, Reino Unido continua dividido sobre tema

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 29/01/2018 09h41
EFEMas a dúvida é se ele irá mesmo acontecer, ou se uma das maiores viradas de mesa na história britânica será levada adiante

Os britânicos marcaram a data e conforme ela vai se aproximando o sentimento de histeria política fica mais evidente. O “Brexit Day”, ou o dia em que o Reino Unido não fará mais parte da União Europeia, está marcado para 29 de março de 2019.

Mas a dúvida é se ele irá mesmo acontecer, ou se uma das maiores viradas de mesa na história britânica será levada adiante.

Os jornais de Londres discutem a postura da primeira-ministra, Theresa May, nas negociações com a Europa.

O Sunday Times disse neste domingo que os conservadores estão em pé de guerra. Nesta segunda-feira, o Guardian afirma que May corre o risco de enfrentar um voto de não confiança no parlamento. Tudo porque as negociações com Bruxelas para definir o divórcio ainda não estão claras.

O sentimento, com o perdão do trocadilho, é de que a Inglaterra corre o sério risco de fazer um Brexit só para inglês ver mesmo.

O governo tem dado indícios de que vai manter o país muito próximo do continente após a separação, mesmo em temas delicados como imigração e parcerias comerciais.

Uma pesquisa divulgada no final de semana aponta que 58% dos britânicos querem que um novo referendo seja convocado depois que as negociações de separação estiverem finalizadas.

Mesmo assim, não dá para dizer que o país mudou de ideia porque a pesquisa mostra que 51% dos entrevistados votariam para ficar na União Europeia, enquanto 49% votariam pela separação outra vez.

Como existe a margem de erro e o primeiro referendo foi super apertado, a única conclusão é a de que o Reino Unido continua muito dividido sobre o tema.