Com demanda chinesa, exportações de frango e carne suína do Brasil batem recorde

  • Por Jovem Pan
  • 08/01/2020 08h37
MARCELO OLIVEIRA/Agência RBS/AEEm volume, a expansão foi de 12,4% -- segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias Exportadores de Carnes

Após recordes das exportações de suínos em 2019, dados positivos também foram observados em outros setores de proteína animal. As receitas dos embarques de carne bovina chegaram a US$ 7,5 bilhões, aumento de 15,5% em relação ao ano anterior.

Em volume, a expansão foi de 12,4% — segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias Exportadores de Carnes.

As exportações de carne de frango tiveram uma alta menor, mas satisfatória: as vendas para o exterior foram 2,8% maiores em 2019. Em receita, a elevação foi de 6,4%, com US$ 6,9 bilhões arrecadados.

O presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal, Francisco Turra, explica que a demanda chinesa foi o principal fator para os resultados positivos. “Alguém poderia perguntar ‘e as aves, qual a explicação?’. A migração do consumo de suínos para aves e também para a proteína bovina, sem dúvida alguma.”

Em 2019, Pequim foi responsável pela importação de 494 mil toneladas de carne bovina brasileira, aumento de 26,7% em relação ao ano anterior.

No setor de frango, a demanda foi a maior desde a abertura do mercado chinês em 2009. Foram mais de 500,8 mil toneladas, incremento de 34% na comparação com 2018.

Somente no mês de dezembro, os chineses compraram 72 mil toneladas da carne de frango, quase o dobro do adquirido no mesmo período do ano anterior. Além da demanda chinesa, os setores atribuem a alta das exportações às aberturas de novos mercados para os produtos brasileiros.

*Com informações da repórter Nanny Cox