Com economia desfavorável, brasileiros mudam hábitos de consumo

  • Por Jovem Pan
  • 06/02/2019 07h04
ReproduçãoO levantamento do SPC mostrou que os brasileiros passaram a ficar mais atentos também às promoções, substituíram produtos por marcas mais baratas e estão negociando mais

Cortar gastos com lazer, com as contas básicas, viagens e querer negociar mais. Essas foram as medidas encontradas por 63% dos entrevistados para não entrar no vermelho, de acordo com um levantamento do SPC Brasil.

Diante de um cenário econômico nada favorável, Laurence, que é técnico de informática, passou a administrar melhor o orçamento mensal: “antes eu tinha Netflix em casa, hoje não tenho mais, é pouco, mas é um pacote de arroz. Baixa velocidade da internet porque está com dificuldade financeira”.

Mais da metade dos entrevistados procurou reduzir o consumo de supermercado e telefone, como foi o caso da professora de inglês Natalia: “esse ano a gente cortou TV a cabo, porque em casa vê Netflix. Cortou telefone fixo, porque hoje é celular. Cortamos muita coisa extra de supermercado que comprava e estragava e no fim dava R$ 400 a mais que a gente não sabia nem que existia e que ia gastando à toa”.

O levantamento do SPC mostrou que os brasileiros passaram a ficar mais atentos também às promoções, substituíram produtos por marcas mais baratas e estão negociando mais.

Na avaliação da economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, controlar os gastos faz com que o consumidor se planeje para prazos mais longos além de conseguir guardar alguma coisa: “essa reserva pode ser importante em médio e longo prazo para um sonho ou aposentadoria ou também para cobrir imprevistos”.

A pesquisa realizada pelo SPC Brasil, em parceria com o Banco Central, ouviu 804 pessoas acima de 18 anos em todo o Brasil, de todas as classes sociais. A margem de erro é de três pontos percentuais para um intervalo de confiança de 95%.

*Informações do repórter Victor Moraes