Com paralisação em Paulínia, Petrobras admite importação de combustíveis

  • Por Jovem Pan
  • 28/08/2018 10h13
Petrobras/ArquivoO diretor da ANP, Aurélio Amaral, disse que apesar dos problemas na unidade, não há risco de desabastecimento de combustível no Brasil

A Petrobras já está tendo que importar combustíveis como querosene de aviação e óleo diesel para repor estoques e atender à demanda interna após a explosão que ocorreu em Paulínia. A unidade permanece paralisada.

O diretor da ANP, Aurélio Amaral, disse que apesar dos problemas na unidade, não há risco de desabastecimento de combustível no Brasil: “tinha bastante estoque lá, agora as necessidades dependem do tempo de paralisação e estão sendo discutidos. Uma alternativa pode ser a importação”.

Apesar da paralisação de Paulínia, diretores e executivos da Petrobras garantem que impacto financeiro para resultado do terceiro trimestre pode ser considerado pequeno e de pouca repercussão.

*Informações do repórter Rodrigo Viga