Com retomada dos investimentos, serviços podem ter bom resultado em 2020, diz IBGE

  • Por Jovem Pan
  • 14/02/2020 06h44
PixabaySetor de serviços cresceu após anos seguidos em baixa

Depois de quatro anos sem crescer, o setor de serviços voltou a atuar no terreno positivo no ano passado, com alta de 1% em relação a 2018, segundo o IBGE.

Entre 2015 e 2017, perdas sucessivas para o setor acumularam 11%. Em 2018, a taxa ficou zerada e agora, em 2019, alta de 1%. A taxa foi positiva mesmo com uma desaceleração observada em novembro e dezembro, quando o índice apresentou queda de 0,1 e 0,4%, respectivamente. Segundo o IBGE, isso não representa uma tendência.

No ano de 2019, alguns setores se destacaram, como o de contratação e engenharia, dado o maior volume de produção de petróleo no ano, serviços de locação de automóveis e corretagem. Com os juros em queda, as pessoas estão tirando seu dinheiro da poupança e buscando outras formas de investimentos para uma maior rentabilidade.

De acordo com Rodrigo Lobo, economista do IBGE responsável pela Pesquisa Mensal de Serviços, para que o setor tenha um crescimento mais forte e robusto daqui para frente, é necessário melhorar a confiança por parte dos empresários e investidores brasileiros. Se isso acontecer, os índices vão se transformar em aplicações, investimentos e geração de empregos, e consequentemente, aumento do poder de compra e consumo dos brasileiros.

Em termos regionais, em 2019, São Paulo foi o destaque, com crescimento de 3,3%. Em outras regiões, Amazonas e Tocantins tiveram um crescimento percentual mais elevado, porém, São Paulo representa 43% da Pesquisa Mensal de Serviços.

O Rio de Janeiro teve um ano “menos pior”, com queda de 0,5%. Depois de reduções bastante significativas nos anos de 2017 e 2018.

* Com informações do repórter Rodrigo Viga.