Comércio eletrônico cresce na América Latina em meio à pandemia

  • Por Jovem Pan
  • 25/05/2020 06h21 - Atualizado em 25/05/2020 08h10
ReproduçãoOutros países da América Latina, no entanto, como Colômbia, Chile, México, Argentina e Uruguai registraram altas superiores nas vendas virtuais

A quarentena impulsionou a abertura de lojas virtuais no Brasil. De acordo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, entre o fim de março, quando as medidas de isolamento social começaram a ser tomadas, e o fim de abril, cerca de 100 mil sites de vendas foram criados.

Segundo a pesquisa, entre os itens mais vendidos online nesse período, estão os calçados, as bebidas, os itens de supermercado, artigos esportivos, de móveis e decoração e de moda.

O editor do E-Commerce Brasil, Gustavo Freitas, destaca que nem só os produtos considerados essenciais registraram elevação nas vendas durante a quarentena. Ele afirma que itens como instrumentos musicais, por exemplo, também tem sido muito procurados.

De acordo com Freitas, o tempo que as pessoas tem passado disponíveis e em casa vem contribuindo para o aumento das vendas online.

A alta nas vendas pela internet, porém, não foi registrada apenas no Brasil. Uma pesquisa feita pelo Mercado Livre aponta que, no país, as compras online aumentaram 39% entre 24 de fevereiro e 3 de maio.

Outros países da América Latina, no entanto, como Colômbia, Chile, México, Argentina e Uruguai registraram altas superiores nas vendas virtuais.

Para o editor do E-Commerce Brasil, a tendência é que as lojas virtuais continuem trabalhando com força mesmo após o fim da pandemia da Covid-19. Segundo Gustavo, as compras pela internet devem se tornar, mais do que nunca, um hábito que não será abandonado quando as lojas físicas forem reabertas.

*Com informações da repórter Beatriz Manfredini