Comércio prevê Dia dos Pais de ‘lembrancinhas’

As expectativas positivas estão voltadas para as vendas da Black Friday, em novembro, e do Natal, em dezembro, segundo o assessor econômico da FecomercioSP

  • Por Nicole Fusco
  • 31/07/2019 07h30 - Atualizado em 30/07/2019 16h16
DivulgaçãoAs famílias não devem fazer grandes compras para o Dia dos Pais deste ano, comemorado em 11 de agosto

O comércio de São Paulo tem baixas expectativas para as vendas do Dia dos Pais, comemorado neste ano em 11 de agosto. De acordo com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), a data será marcada pela compra de lembrancinhas.

Segundo o assessor econômico da entidade, Guilherme Dietze, o cenário é desafiador. “Esse é o cenário de crise que a gente vive, com alto grau de desemprego, as famílias estão endividadas, há um alto nível de inadimplência e isso limita a capacidade de consumo das famílias e os bancos também reduzem a oferta de crédito. A gente vê desde o Dia dos Namorados, Dia das Mães, um cenário ruim para o varejo”, afirmou ele.

Em julho, o índice de Perspectiva e Consumo detectou essa propensão menor das famílias de irem às compras. O indicador recuou 3,2%, na comparação com junho..

Guilherme Dietze, assessor econômico da FecomercioSP, explica que as expectativas positivas estão voltadas para as vendas da Black Friday, em novembro, e do Natal, em dezembro. “O que vai ver no segundo semestre é a injeção do FGTS, principalmente para a Black Friday e o Natal. Essas serão duas datas comemorativas importantes para ter um termômetro de como serão vendas para o próximo ano”, disse Dietze.

Além do FGTS, também deve interferir positivamente nas vendas dessas duas datas o adiantamento do décimo terceiro salário.