Comissão do impeachment do Witzel começa a funcionar na Alerj nesta quinta

  • Por Jovem Pan
  • 17/06/2020 07h47 - Atualizado em 17/06/2020 07h47
Wilton Junior/Estadão ConteúdoO governador garante que nenhuma irregularidade será encontrada, já que não cometeu nenhum crime ou desvio

A comissão especial da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) que vai investigar o governador Wilson Witzel e ver se ele cometeu crime de responsabilidade dará início aos trabalhos nesta quinta-feira (18).

O grupo será formado por 25 deputados, entre eles dois parlamentares que estiveram presos recentemente após serem detidos pela Lava Jato em 2018. Marcos Abrahão e Marcos Vinícius conseguiram reassumir seus cargos nas últimas semanas depois de uma decisão da Justiça.

O presidente da Alerj, deputado André Ceciliano, informou que pretende entregar a cópia do processo ao governador apenas depois da instalação dessa comissão de investigação. Wilson Witzel terá um prazo de dez sessões da Assembleia para apresentar sua defesa.

O governador garante que nenhuma irregularidade será encontrada, já que não cometeu nenhum crime ou desvio. O alvo são contratação de compras emergenciais durante a pandemia da Covid-19. Ao menos quatro operações já foram realizadas pela Polícia Federal, Ministério Público e pela Lava Jato no Rio de Janeiro para investigar as contratações e cerca de 20 pessoas já foram detidas.

Ainda na Assembleia, o deputado Marcos Abrahão decidiu nomeador para seu gabinete dois funcionários do presídio Bangu, unidade penitenciária do Rio de Janeiro onde ele estava detido. O diretor do presídio e o chefe de segurança da unidade farão parte da equipe de gabinete do deputado.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga