Concessão da Cedae pode render R$ 11 bilhões aos cofres do RJ, diz Witzel

  • Por Jovem Pan
  • 13/02/2020 07h09
ReproduçãoCedae deve ser privatizada ainda em 2020

 

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, sinalizou nesta quarta-feira que a concessão da Cedae, prevista para acontecer no segundo semestre de 2020, poderá gerar uma receita de, ao menos, R$ 11 bi aos cofres públicos.

A estimativa acontece em meio a uma crise histórica da Cedae, que há quase um mês e meio fornece água ruim a cariocas e fluminenses, com cheiro, sabor e cor de terra em grande parte das localidades. Nesta semana, houve a troca do comando da Companhia, na tentativa de chegar a uma solução definitiva para a chamada “crise da água”.

O governo pretende usar os recursos da concessão para pagar o empréstimo feito ainda na gestão de Luiz Fernando Pezão junto ao banco BNP Paribas na ordem de R$ 3 bi, além dos juros, de R$ 1 bi. O restante do total a ser arrecadado será rateado com os municípios, como contou Witzel.

“R$ 11 bi nos cofres do Estado do Rio de Janeiro agora no mês de novembro, vamos dar esse presente ao nosso estado, aos municípios, que também vão receber parte dessa outorga, que virá em boa hora, para pagar as contas no final do ano”.

Após algumas desavenças com o presidente Jair Bolsonaro, algumas públicas, o governador decidiu agradecer o mandatário e o Governo Federal, que disponibilizou recursos emergenciais para o socorro de famílias atingidas por um forte temporal que no mês passado atingiu as regiões norte e noroeste do Estado. Witzel chegou a prometer uma “política de mãos dadas” com o governo, além de apoiar a aprovação da reforma tributária no Congresso Nacional. “A política se faz de mãos dadas. Se faz com união, ainda que nossos partidos não sejam os mesmos, nossas ideologias possam ter pontos de divergência, mas jamais vamos pregar intolerância, somos irmãos e irmãs.”