Congresso Nacional analisará o adiamento das eleições deste ano

  • Por Jovem Pan
  • 18/05/2020 07h15 - Atualizado em 18/05/2020 08h09
Fabio Rodrigues Pozzebon/Agência BrasilA proposta precisa do apoio de outros 26 senadores que a matéria seja apreciada pelo Senado Federal

O senador Randolfe Rodrigues (Rede) apresentou uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para o adiamento das eleições municipais. O pleito está marcado para o dia 4 de outubro de 2020, com o segundo turno, para cidades com mais de 200 mil eleitores, em 25 de outubro.

O parlamentar justifica que a alteração é necessária em razão da pandemia da Covid-19. Mas o líder da Rede mantém inalterado na PEC o mandato dos atuais prefeitos e vereadores. Randolfe Rodrigues programa o primeiro turno para o dia 6 de dezembro, o segundo turno dia 20 de dezembro, com a posse dos eleitos em primeiro de janeiro.

A proposta precisa do apoio de outros 26 senadores que a matéria seja apreciada pelo Senado Federal. Ela autoriza o Tribunal Superior Eleitoral a promover a revisão do calendário. O Ministro do STF, Luis Roberto Barroso, que assume a presidência do Tribunal Superior Eleitoral no final de maio, admite o risco real do adiamento das eleições.

Barroso também não concorda em prorrogar os atuais mandatos, ressalta que a questão sanitária irá determinar a decisão e avalia que o adiamento é o melhor caminho.

Em São Paulo, o diretório municipal do PT definiu o ex-deputado Jilmar Tatto como pré-candidato à prefeitura em 2020, que bateu Alexandre Padilha na escolha virtual com 613 delegados petistas, o que contrariou outros cinco candidatos que retiraram suas candidaturas.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos