Conselho de Ética da Câmara apressa processos de cassação contra presos, mas ignora réus

  • Por Jovem Pan
  • 08/03/2018 06h24
Luis Macedo/Câmara dos DeputadosFecha os olhos para os réus e investigados na Lava Jato, mas prossegue na cassação dos mandatos da bancada do presídio

O Conselho de Ética da Câmara tenta manter as aparências. Fecha os olhos para os réus e investigados na Lava Jato, mas prossegue na cassação dos mandatos da bancada do presídio. Hoje, são três deputados com mandato de deputado federal e que estão presos na Papuda – todos por crimes cometidos quando eram prefeitos – João Rodrigues (PSD), Celso Jacob (MDB) e Paulo Maluf (PP).

Os processos já estão abertos, com relatores indicados, e, com uma semana, os pareceres chegam ao plenário do Conselho, todos pela cassação. O deputado Lúcio Vieira Lima (MDB), irmão de Geddel, também está com processo de cassação aberto, acusado de ser o dono dos R$ 51 milhões que estavam no apartamento emprestado para os irmãos em Salvador.

Agora, para os investigados da Lava Jato, nada de abertura de processo ou investigação na Corregedoria ou no Conselho de Ética da Câmara.

*Informações do repórter José Maria Trindade